BRIGADEIRO DE PAÇOCA E A ESPERANÇA O ALIMENTO DA ALMA

Brigadeiros-de-paçoca

ESPERANÇA ( Mário Quintana)

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança…
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA…

Texto extraído do livro “Nova Antologia Poética“, Editora Globo – São Paulo, 1998, pág. 118.

Pois é, já passou as Festas Juninas, mas o clima ainda é de festas ( melhor dizendo passeatas) na ruas, o que não deixa de ser uma comemoração, pela finalmente tomada de consciência dos problemas pelas pessoas, melhor ainda uma tomada da certeza da força da união das pessoas.Como numa família todos juntos para a felicidade de todos.

É impressionante como a ESPERANÇA ganhou força. O sonho de justiça cresceu mais do que a nossa massa de pão bem fermentada. As ruas ficaram como panela na casa de mãe. Podem vir que com um pouquinho de água há  comida dá para todos.

Esperança, é estar na expectativa de que algo aconteça, geralmente favorável, é acreditar em resultados positivos, ter perseverança mesmo quando há indicações contrárias, ela  se faz de luta e garra.

Enquanto houver sonhos no olhar, na voz, no coração de cada pessoa, haverá sempre um novo dia onde o Sol brilhará tão intensamente que  iluminará a todos reacendendo cada vez  mais a  Esperança.

É ela que nos faz seguir em frente e acreditar em dias melhores, onde em vez  de ruas repletas de conflitos  e lutas, haja  ruas repletas de crianças e flores.  Isto me fez lembrar de um livro “A Rosa do Povo”(1945) , cujo trecho  achei bem apropriado para os dias atuais.

Uma flor nasceu na rua!
Passem de longe, bondes, ônibus, rio de aço do tráfego.
Uma flor ainda desbotada
ilude a polícia, rompe o asfalto.
Façam completo silêncio,
paralisem os negócios,
garanto que uma flor nasceu.

(Trecho de A flor e a Náusea, poema de Carlos Drummond de Andrade )

Brigadeiro-de-paçoca-2

Então, nesse clima de Esperança, fiz estes brigadeiros bem brasileiros e pasmen, com um delicioso gostinho de Sonhos!

BRIGADEIRO DE PAÇOCA

 

INGREDIENTES

1 lata de leite condensado

1 colher de sopa de manteiga sem sal

1 colher de sopa de chocolate em pó

1 caixa de paçoca em rolha (350grs) (3 a 4 para o brigadeiro e o resto para passar)

Manteiga para untar

Forminhas

MODO DE PREPARO

Misturar o leite condensado com a manteiga, o chocolate e levar ao fogo baixo mexendo sempre sem parar até começar a desprender do fundo da panela,não deixar cozinhar demais, deixar com uma consistência mais mole, só então  acrescentar a paçoca desmanchada e não levar mais ao fogo.

Desmanchar o restante das paçocas para passar os brigadeiros, se preferir pode passar a paçoca na peneira, o brigadeiro fica mais delicado. Porém eu gosto do jeito mais rústico.

Deixar esfriar e com a mão untada fazer os brigadeiros e passar na paçoca desmanchada, colocar nas forminhas e esperar os  Humm! Humm! Que Delicia!

Bom Apetite

Gina

10 comentários sobre “BRIGADEIRO DE PAÇOCA E A ESPERANÇA O ALIMENTO DA ALMA

  1. Olá Gina,
    Grande verdade, a esperança é um importante alimento para a nossa alma, muito bom texto.
    Esses brigadeiros esperançosos e com sabor a lembrar a sonho sem dúvida são também um delicioso alimento para a visão, paladar, olfato e também para a alma, pois são lindos.
    Beijo,
    Vânia

  2. Querida Gina,
    por cá vivem-se incertezas a nível político. Já não entendo nada nem quero entender, às vezes. Políticos demitem-se, outros mantém-se, não sabemos o que por aí vem, mas coisa boa não deve ser. Clima de austeridade, dificuldade nos orçamentos, cortes em tudo, vamos ver onde este caminho nos leva. Mas há sempre esperança!
    O verão faz-se sentir com um calor abrasador. E eu adoro brigadeiros. Não conhecia a paçoca, mas já espreitei, é feita de amendoim, não é? Deliciosos!!
    Um beijinho.

  3. Minha querida,
    o que seria de nós sem a esperança de dias melhores, como diz o
    velho ditado a esperança é a ultima que morre.
    Onde há vida há esperança.
    Texto lindo, adorei a sua postagem!
    E os brigadeiros, estão perfeitos, as forminhas são lindas d+!

    Beijinhos ♥

  4. Gina, que post lindo!!!
    Parabéns!
    Claro que peguei a receitinha desse brigadeiro de paçoca e pretendo fazer rapidinho, fiquei com tanta vontade de experimentar…
    Fiquei até com pena de mim sabia?
    Bjssssss minha amiga querida

  5. Ufa, demorei mas cheguei querida Gina. Menina, adoro brigadeiros e esses seus de paçoca me encheram a boca d’agua, super diferente e certamente deliciosos. Adoro amendoim e a combinação ficou perfeita. Gostei demais miga. Lindo poema. Beijinhos

  6. Gina querida, voltei p/ agradecer a tua amizade e o carinho com que sempre me trata. Que bom que gostou das iscas e da cebola que eu passei a chamar de cebolada kkkkk
    Fiquei curiosa com o strogonofe, deve mesmo ter ficado delicioso, mais uma que eu aprendo viu?
    Como diz o ditado “Vivendo e aprendendo” ….

  7. Querida Gina
    Adoro Mário Quintana!
    Acompanhei toda essa comoção daqui e em mim também nasceu uma grande esperança de que dias melhores virão para o nosso país!
    Eu também tenho uma outra esperança, de um dia poder comer esse brigadeiro, pois amo paçoca e aqui não tem – hehehehe!
    Um grande abraço e tenha um lindo fim de semana.
    Léia

  8. Gina querida,

    Adorei estes seus textos tão verdadeiros e que nos fazem meditar ! 🙂
    Aqui em Portugal temos também muita instabilidade politica, financeira, a todos o níveis, a bem dizer…
    Há sempre Esperança mas, depois de tanto tempo com medidas austeras que castigam o povo que não tem culpa dos baixos golpes que foram e continuam a ser dados por gente corrupta, vendida, gente sem escrúpulos, confesso que começa a ser muito dificil fazer com que a Esperança permaneça intacta.
    Aumenta a imigração e vemos os nossos filhos a irem embora, de lágrimas nos olhos…
    Não é justo de facto !

    Mas prefiro ver coisas boas como estes seus lindos e tentadores brigadeiros !
    Uma delicia perigosa, pois que não pararia de os comer, uns atrás de outros !
    Estão fantásticos, amiga !

    Beijoquinha grande a Si e aos filhotes !

  9. Oi Gina:)

    Por aqui a esperança está a fugir das nossas mãos – o país está em crise e os políticos só se preocupam com o seu bem estar e o povo tão espremido é que tem de pagar tudo. É muito triste a situação do meu país):

    Já esses brigadeiros de paçoca são uma alegria para os olhos:)

    Beijinhos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s